terça-feira, 15 de abril de 2008

Mas não se pense que era só o resmungo a sua imagem de marca, tinha outras coisas que incomodavam a maioria das pessoas. Era daquelas pessoas que cultivam propositadamente hábitos irritantes, aparentemente com o objectivo de tentar abanar a restante população com as suas pequenas idiossincrasias, mas só conseguindo tornar-se objecto de má-língua ou de penitências pascais.
E passo a elencar:
- metia conversa com as pessoas que frequentavam o mesmo café, indiscriminadamente, mesmo sem as conhecer, e especialmente quando estavam sossegadas sem incomodarem ninguém;
- se percebia que alguém era mais delicado, usava todos os palavrões que sabia (e alguns que inventava), se estava perante uma pessoa mais bruta, desfazia-se em mesuras;
- comparava todas as pessoas que conhecia a animais (desde girafas a traças);
- gostava de usar roupa velha, cheia de nódoas e, de preferência de tamanho maior que o seu (gabava-se de não compactuar com a indústria da moda e de não contribuir para a melhoria da estética mundial);
- fazia um barulho esquisito a engolir ar (ou seja, sempre respirava)…
Mesmo assim, não se pode dizer que fosse mau amigo.

2 comentários:

Susana disse...

(sonoras gargalhadas)
Boa Rita!

Maria das Mercês disse...

Gostei bastante, da construção da personagem, do estilo directo. Boa mesmo, Rita!