sábado, 23 de fevereiro de 2008

É que acreditar era uma experiência completamente nova para Lex Luthor, dar crédito ao que ele próprio fazia e dizia, pior ainda, dar crédito ao que pensava, nunca antes o tinha experimentado. Tinha até receio do que lhe ia acontecer a seguir... pela lei das probabilidades, ia acabar a ser atingido por um raio no meio de Trafalgar Square, à cautela, era melhor não ir a Londres num futuro próximo.
Mas vejamos, se ele acreditava em algo que acabava de intuir, que ainda não tinha, sequer, verbalizado, isso seria uma mentira, ou não? Afinal, ele era o profissional da mentira e do descrédito, era a sua ocupação diária desde que se conhecia por gente e nunca se tinha sentido assim confundido.
Olhou mais uma vez para o lado, para aquela pessoa que vendia o corpo mesmo ao seu lado, todas as noites, como se fosse a primeira vez que via alguém verdadeiramente maravilhoso, apesar do tafetá barato com que cobria as suas formas perfeitas. Acreditou que estava apaixonado.

9 comentários:

Maria das Mercês disse...

Ai a grande salada, meus deuses! Estava na hora de trazer a loucura do amor para este corpo...

rita disse...

convenhamos, já tinhamos loucura e mentira, para fazer o cliché completo só faltava o amor, eu não quero que nos falte nada ;)

Mário disse...

Rita, se estás apaixonada podes dizer-nos que te daremos o nosso apoio. Agora, usares aqui o "corpinho" para expurgares os teus fantasmas, não dá.

Susana disse...

oh valha-me alguém, o k faço eu com este lex, travesti, mentiroso compulsivo e, agora, apaixonado?!
LSD, LSD...

Susana disse...

nota: LSD = Louvado Seja Deus...

rita disse...

todos reclamam, todos reclamam...
sempre gostava de saber o que fariam no meu lugar...
pôr o amigo Lex a acreditar na política ou no milagre das fibras sintéticas, por oposição à seda natural, seria bem mais anormal.

leonor disse...

eu não digo nada...

Renata Correia Botelho disse...

Rita, venho em tua defesa! Só o amor pode amenizar tanta loucura. Ou aumentar, quem sabe - hipótese bem interessante...
Dá-lhe Susana, estamos contigo para o que der e vier!

Maria das Mercês disse...

Susana, nada é mais improvável do que o amor! Já viste o que tem de ultrapassar? Por isso, dá-lhe: o nosso Lex Luthor (não consigo dizer este nome sem visualizar o Gene Hackman com roupa "dandy" e sorriso de vilão, LSD!)merece as delícias do amor! Eheheh