terça-feira, 12 de fevereiro de 2008




Dizem que sou louco. E talvez seja. Uma vez despachei à pedrada o cão do meu vizinho. O que é que querem? O rafeiro tinha cara de néscio, até se babava. Não era um cão vulgar. Um cão vulgar não ladra ao vizinho todas as vezes que o vê. E era assustador quando rosnava. Primeiro atirei-lhe uma pedra que lhe acertou no rabo. O sabujo ganiu mas voltou à carga. Enfiei-
-lhe a seguir com um cunhal nas trombas. Ele vacilou mas investiu de novo a espumar sangue, aquilo deve-lhe ter fodido as teclas todas. Já não tinha a dentuça, o que é que aquele tanso queria agora fazer? Mas eu já estava de pé atrás. Tinha-me armado duma verga de pedra, resto de chaminé demolida. Tomei balanço, quase me desequilibrei e vira, aquilo foi apanhar-lhe o meio da espinha, que pontaria, senti aquela merda a partir-se toda. O gajo ainda estremeceu em meia dúzia de espasmos e ficou ali mesmo de língua de fora. Parecia que se estava a rir de mim, o cabrão. Então fui-me a ele e mordi-o. A sério. Ferrei-lhe os dentes como ele queria fazer-me. Arranquei-lhe a língua. O gajo também já não precisava dela para nada. Anda, sacana.
Mas isto para dizer que eu não sou pessoa para ter dado cabo da viúva. Uma coisa é um cão pulguento, outra coisa é uma viúva linda. Quando a via, apetecia-me uivar à lua. Para que é que eu a ia matar se estava apaixonado. Sim, já ouvi falar de crimes passionais. Mas a paixão não mata, a paixão é vida. O despeito sim, é letal. E nunca me senti despeitado por ela.
Ah, os senhores não conheceram a viúva como eu conheci. A alvura das suas coxas, das suas mamas ainda firmes contra a roupa negra que ia abandonando sobre os lençóis e pelo chão, enquanto se desnudava, o seu sorriso meio perverso meio cândido, só podem ser comparáveis à visao de deus na hora da morte. E quantas vezes eu morri…

6 comentários:

leonor disse...

A minha costela Diácono Remédios diz: "Ai, balha-me Deux! Não habia nexexidade-x-x-x-x!"
Sempre quero ver no que isto dá.

Maria das Mercês disse...

Ai! Afinal ele morde cães! E gosta de viúvas giraças (esta parte é perfeitamente aceitável, claro!). Isto está a ficar muito inquietante... Que mais lhe irá acontecer???

Susana disse...

Colisão frontal.
Pegar na loucura e vai disto "Oh! Evaristo"...
Um exercício de perversão e choque.
Coço-me toda na antecipação do texto do Nuno...

P.S. - Diz-me cá, meu caro, pretendes chamar a ti toda a polémica que este blog pode levantar? lololol!

Renata Correia Botelho disse...

Oh Mário, francamente!!!
Torturar animais e ainda querer descrever essa barbaridade com tamanha crueza é crueldade pura. Caramba, nem como exercício de escrita!

Comentador disse...

ui! ui!
e só dois homens entre as mulheres. com a tal costela que deus retirou a adão. terá realmente sido uma costela? ai o pecado que nunca mora ao lado.

Mário disse...

eh eh