terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

I must be strong and carry on,
'Cause I know I don't belong…
“Aqui deixo as minhas últimas palavras antes de — antes de fazer o que já devia ter feito há muito tempo.
A Sheila deixo as minhas esquinas, as minhas verdades e os meus vestidos de chita. A Joaquim deixo 32 colunas de gastronomia prontas a publicar, os meus fatos de organdi e as minhas mentiras.
A casa fica para quem vier; o carro para quem o achar.
As noites, estas, são só minhas.
A Jerry e Joe deixo as minhas revistas, desde Março de 1938.
Lex Luthor”

Imprimiu o texto, colocou-o dentro do envelope endereçado a Perry Mason, o único ser humano em quem ainda confiava, e juntou alguns pertences de maior necessidade. Estava pronto para partir. A noite tinha regressado, era melhor assim. Passou o olhar pela casa uma última vez, tão modesta como eu, como é bom, meu Deus morar, fechou a porta cuidadosamente e fundiu-se com as sombras.
Lex Luthor partia para a sua última demanda sem reparar que, do outro lado da rua, na soleira do prédio 613, um sorriso diabolicamente fugidio acompanhava todos os seus movimentos. Um sorriso que dominava, como ninguém, a Teoria da Grande Trampa; mais, vergava-a aos seus desejos. Lex Luthor avançava, inconsciente. There he goes, walking down the street.

7 comentários:

leonor disse...

Maria, foi uma emoção ver o meu legado a cantar no teu texto.
Gostei muito das "últimas palavras" de L.L. e das duas novidades que introduziste: o sorriso diabólico e Perry Mason. Será que tudo isso vai levar a um final hollywoodesco, com uma luta entre o bem e o mal e a tão aguardada chegada do Super-Homem? Só o Mário é que sabe!

Renata Correia Botelho disse...

É isso mesmo! A opção de continuar aquela espécie de loucura musical (muito engraçada),introduzida ontem pela Leonor, parece-me que resultou muito bem!!! E a ideia do testamento foi óptima.
Ai Mário, como é que tu vais encerrar isto???

Susana disse...

"Indo eu, indo eu a caminho de Bijeu..." cantarola Lex...
Gostei que continuasses a musicar este acto, Siza. E o Perry Mason à mistura, ahaha!
O Mário vai acabar "à minha maneira, à minha maneeeeira..."

Mário disse...

já vão ver o que é bom para a tosse

Judite Fernandes disse...

Tenho andado aqui às voltas para ler o 2º conto... mas não consigo ter a certeza de onde começa e onde acaba, e gostava muito de lê-lo... alguma parte do corpo pode-me dizer?

leonor disse...

Olá, Judite! O segundo conto começa com "Gosto de ver os aviões passar por cima de mim" e termina 7textos depois, num que se inicia com "Traiçoeira."
Beijinho.

vita activa disse...

O Mário está frenético! Rapaz hiper activo, quiçá. Ameaça-nos com uma desfecho extravagante, com um ruptura heurística que faz com que a minha debilitante apendicite pareça um chazinho ling chung. Avança, intrépido. Imagino o Lex a dirigir-se à deco a queixar-se da Nini Organdi, que roubou-lhe o telemóvel e o seu bem amado felino, Venceslau.